Bom, podemos dizer que o apocalipse zumbi já deu o que tinha que dar correto? NÃO! Claro que não!

Convenhamos que as produções americanas ultimamente estão deixando muito a desejar com formulas prontas, previsíveis e chatas. Para não ser totalmente injusto, posso dizer que “Guerra Mundial Z” está no meu coração.

Não é de agora que a Ásia anda mandando verdadeiros clássicos do horror/terror/suspense, mas ainda não havia apostado pesado em apocalipses zumbis, Train to Busan acabou com todas as expectativas.

Atores em um momento tenso durante o ataque que acontece no trem

A produção veio da Coreia do Sul, como A Tale of Two Sisters (2003), O Hospedeiro (2006), Eu Vi o Diabo (2010) e o recente e elogiadíssimo The Wailing (2016).

Na trama, Seok-woo (Gong Yoo) é um jovem gestor de finanças que trabalha numa grande corporação e tem uma filha de 9 anos Soo-an (Kim Su-an). Entre os dois, há uma distância crescente, por conta do trabalho de Seok-woo e de sua índole egoísta. Tentando consertar as coisas, ele resolve deixá-la com sua ex-esposa, que vive em Busan.

NM1: Vai se acostumando com os nomes, porque eu mesmo desisti no meio do filme e estava chamando todo mundo por números.

*NM=Nota mental

Seok-woo decide ir para a cidade de Busan por trem, porém, ele não notam todos os acontecimentos que acontecem fora da estação, uma infestação de zumbis raivosos começa a atacar toda cidade, se expandindo rapidamente por todas as estações por onde irão passar.

Pai e filha desesperados para achar uma saida depois da queda do trem

Realmente deve ser difícil reinventar o sub gênero zumbis hoje em dia, Train to Busan não tenta fazer isso, mas consegue se transformar em um dos melhores filmes de apocalipse lançados até hoje. Do mesmo jeito que Invocação do Mal (2013) pegou todos os clichês do tema sobrenatural e produz uma mistura bem feita, o filme aqui faz o mesmo com os filmes de mortos vivos e cria sua própria versão, que apesar de não tem muita coisa nova na roda em relação às criaturas, consegue ser original pelas locações.

A duração de quase 2h dá bastante espaço para filme explorar todos os cenários e render ótimas cenas. Ou seja, ele não se limita apenas ao trem em si, ainda que as cenas sejam bem escritas. Como por exemplo: o grupo se separa e fica em vagões diferentes no trem e precisam atravessar os vagões cheios de zumbis para se encontrar com o restante do grupo.

O toque especial da história é a construção dos personagens. O drama é bem elaborado e bastante importante para o filme, afinal, vários pontos positivos se devem a ele. A relação entre o protagonista e a filha e a transformação do seu caráter em meio a situação parece natural e nada forçado, fazendo com que o desfecho impactante seja bem especial.

Train to Busan é um espetáculo a parte, uma obra de arte que deve ser aclamada pelos fãs do gênero apocalíptico – ou até aqueles que já se cansaram deles. Parece que o filme contará com uma continuação em breve, vamos aguardar novas informações.

 O filme estreia no circuito nacional no dia 29 de dezembro de 2016 com o título Invasão Zumbi. Se você estiver de bobeira, vai lá conferir e volta para falar nos comentários. o filme é bom!

Saca só o trailer: